Voltz abre espaço para motos elétricas no Brasil

Primeiramente a Voltz Motors – que só tem modelos elétricos, já é a sétima marca de motocicletas e scooters do país, em vendas. A posição foi alcançada neste primeiro bimestre de 2022, mesmo com um line-up relativamente reduzido. No entanto, é composto basicamente pelo scooter EV-1 e pela moto EVS, vendida em duas versões.

A marca somou 522 unidades vendidas em fevereiro e um acumulado de 843 unidades no primeiro bimestre. Nos dois rankings, deixou para trás rivais teoricamente maiores como Haojue, Dafra, Triumph, Harley-Davidson, Ducati e Suzuki – além de outras de pequena expressão.

Leia Também: Honda revela nova moto elétrica infantil para off-road

No entanto, para se ter uma ideia da façanha, a Voltz encerrou o ano passado na 14ª posição, com 967 unidades vendidas ao longo de 12 meses. Mas em dezembro, isoladamente, já estava na 12ª posição – com 167 unidades entregues naquele mês.

A ascensão é resultado do interesse cada vez maior da sociedade por modelos elétricos, que não emitem gases poluentes, têm baixos níveis de ruídos, manutenção muito mais fácil e barata do que a dos modelos com motores a combustão e custo operacional também inferior. E também é resultado de boas estratégias da própria empresa, que além de começar suas operações com apenas dois modelos, também partiu com poucas lojas (concessionárias) – para depois crescer progressivamente e de maneira viável.

Montagem em Manaus – Voltz abre espaço para motos elétricas no Brasil

Sobretudo, a Voltz está tão embalada no mercado brasileiro que pretende ter sua própria linha de montagem no Polo Industrial de Manaus (PIM). O investimento é de R$ 100 milhões e prevê capacidade para fazer até 15 mil motos e scooters elétricos por mês (estimativa superior à inicialmente divulgada, em 2020, de 8 mil a 12 mil motos/mês).

Entraram na rodada de aportes a Creditas, empresa especializada em crédito, que investirá R$ 95 milhões, e a UVC Investimentos, ligada ao grupo Ultra, que investirá o resto. O plano era botar a “fábrica” de Manaus para funcionar ainda no ano passado, mas atrasos adiaram  o início das operações para este ano. A unidade deverá gerar inicialmente 500 empregos diretos e permitir, depois, a inauguração de mais lojas e até o lançamento de novos modelos.

As coisas têm andado aceleradas para a Voltz que nem parece que a empresa começou as operações em novembro de 2019. Atualmente, a marca tem duas lojas em São Paulo e uma em Recife (PE), além de 30 showrooms no país. Eles estão em Maceió (AL), Porto Seguro, Feira de Santana, Santo Antônio de Jesus e Teixeira de Freitas (BA), Ituiutaba, Divinópolis e Varginha (MG), Patos e João Pessoa (PB), Olinda, Recife, Caruaru, Carpina, Paulista, Vitória de Santo Antão e Petrolina (PE), Aracaju e Itabaiana (SE), Juazeiro do Norte (CE) Cabo Frio (RJ), Sorocaba (SP) e Natal (RN). Por enquanto, o escritório central permanece em Cabo de Santo Agostinho (PE).

Voltz abre espaço para motos elétricas no Brasil

Posts Relacionados Está matéria tem 0 comentários. Seja o primeiro!
Por:
Nova CG 2022
Nova NXR 160 2022